Gestantes recebem orientações sobre teste do pezinho

Exame foi tema da reunião mensal do grupo de Gestantes coordenado pelo Núcleo de Apoio à Saúde da Família.

Um dos exames mais importantes para de detectar irregularidades na saúde da criança é o teste do pezinho. A afirmação é da farmacêutica, Tais Garlet. Ela explica que o teste, também chamado de Triagem Neonatal, é um exame obrigatório e gratuito que identifica doenças metabólicas, congênitas e infecciosas. “Além de ser um direito, o teste do pezinho possibilita o diagnóstico de doenças que podem comprometer o desenvolvimento físico e intelectual da criança, causando sequelas irreversíveis quando não tratadas”, alerta.  Para realização do exame, deve ser feita a coleta do terceiro ao quinto dia de vida do bebê, extraindo-se algumas gotas de sangue do calcanhar da criança. “Extraímos o sangue do calcanhar por ser um lugar de mais fácil acesso, mas se não for possível, o material pode ser de qualquer outra parte do corpo”, explica. De acordo com Taís, obedecidos os protocolos, a amostra segue para o Laboratório Central de Saúde Pública, em Florianópolis e o resultado sai, em média, em 40 dias.

Saiba Mais

Considerado um dos mais avançados do país o Programa de Triagem Neonatal catarinense oferece uma modalidade de teste que contempla sete doenças em bebês recém-nascidos. Seis fazem parte do Programa Nacional de Triagem Neonatal do Ministério da Saúde. O sétimo teste só é realizado em Santa Catarina e faz a verificação da galactosemia para detectar doença hereditária ou metabólica que pode gerar deficiência intelectual e, em alguns casos, a morte.

As doenças diagnosticadas na modalidade de teste do pezinho realizada em Santa Catarina são: hipotireoidismo congênito, fenilcetonúria, triagem da anemia falciforme, fibrose cística, Hiperplasia Adrenal Congênita, Galactose e Deficiência da Biotinidase.

Este edital possui conteúdo protegido pela LGPD, para obter acesso abra uma requisição aqui